Encontros, parcerias, achados e ideias para as cartas quilombolas!

Os nossos residentes Irla e Gabriel; ao centro Gracy, bisneta da Tia Ciata.

Salve salve!

Esta semana tivemos atividades bastante ricas para o desenvolvimento da nossa ArtSonica Residência Artística OuvidoChão – Caras Quilombolas. Tivemos diversos encontros, firmamos parcerias, encontramos diversas referências que trarão ótimas possibilidades de abordagem para nossa cartografia.

Na terça nos reunimos e entramos em acordo de parceria criativa com o pessoal da Casa da Tia Ciata e do IPN. Devemos aprofundar a relação com o território participando e registrando algumas das atividades promovidas por estas instituições, na região do Cais do Valongo.

Já na quarta-feira fomos em Jacarepaguá conversar com pessoas ligadas aos territórios negros e quilombos da região. Combinamos para a próxima semana um outro encontro, onde faremos um percurso histórico, geográfico e cultural nestes espaços, também fazendo captações de som e imagem.

A quinta-feira foi de pesquisa diretamente no Arquivo Nacional, onde procuramos principamente por registros sonoros e cartográficos destes territórios. Ainda devemos fazer mais visitas, para filtrar melhor todas as referências. Encontramos nestes dias muitas obras que irão contribuir em nossa elaboração do projeto da obra, que deve acontecer nesta próxima semana.

E hoje ainda devemos participar da Roda de Samba da Cabaça, evento organizado pela Casa da Tia Ciata, continuidade da tradição iniciada pela matriarca do Samba. Semana que vem temos mais pesquisa e produção. Até lá!

Nossa pesquisa de campo segue em curso

Dando continuidade à nossa pesquisa de campo para a residência OuvidoChão – Cartas Quilombolas, neste fim de semana visitamos alguns espaços culturais nas regiões do Cais do Valongo e Baixada Fluminense.

No sábado, vimos uma exposição sobre a Geografia do Samba, no Museu de Arte do

Rio (MAR); conhecemos o espaço do Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos (IPN), com quem já combinamos outra visita; e aproveitamos a proximidade para passar no Museu da História e Cultura Afro-Brasileira (MUHCAB), onde vimos exposições de arte contemporânea negra e várias possibilidades de abordagem artística para nossas cartografias.

Já no domingo fomos conhecer a Vila Operária / Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde presenciamos o último dia do evento de grafite e hip hop Meeting of

Favela (MoF) e colhemos informações e contatos sobre territórios negros e quilombolas em Duque de Caxias e Magé.

Esta semana estamos visitando outros espaços para retomar alguns diálogos para fortalecer nossa abordagem. Nesta segunda-feira fizemos contatos e a partir de hoje teremos mais reuniões com instituições do Cais do Valongo, com representantes dos Quilombos de Jacarepaguá, além de nossa reunião semanal de equipe.

Algumas imagens da pesquisa de campo: